superior
menu.gif

Untitled Document
 
 
   



A peça "FALA, ZÉ!, conta a história de um sessentão, o “Zé”, vivido por José de Abreu, que passa por momentos marcantes da história do Brasil:

O movimento estudantil dos anos 60, (O CONGRESSO DA UNE EM IBIÚNA, COM 700 ESTUDANTES PRESOS, INCLUSIVE JOSÉ DIRCEU, JOSE MENTOR E O ATOR JOSÉ DE ABREU) o desbunde de drogas em Arembepe e na Europa – PRINCIPALMENTE EM LONDRES E AMSTERDAM - NO ÍNÍCIO DOS ANOS 70, A ORIENTALIZAÇÃO FILOSÓFICA SUBSTITUINDO O MARXISMO – A MACROBIÓTICA, A YOGA, MEDITAÇÃO - , a volta dos exilados políticos, a formação dos partidos de esquerda, chegando até a crise do governo atual, passeando pelas vivências políticas, afetivas e estéticas dessa geração.

José de Abreu representa cerca de 20 personagens diferentes, alguns projetados em cena em dois telões de fundo e também numa Tv de plasma que fazem parte do cenário, ou criando um diálogo experimental onde um só ator representa vários personagens simultaneamente.

As músicas de David Tygel pontuam esses momentos. A peça foi escrita por Angel Palomero e Walter Daguerre a partir de improvisações do ator que resultou em um texto que mistura a realidade com fatos ficcionais criando uma comédia popular.

Estreiaremos Fala, Zé! dia 25 de março de 2006 no Festival de Curitiba no Teatro Sesc.
A montagem deverá ser apresentada inicialmente em grande parte do território do Estado do Rio Grande do Sul, devendo visitar, durante dois meses ininterruptos, cerca de 30 cidades daquele estado, inclusive e preferencialmente as menores e/ou as que mais se ressentem da falta de eventos culturais, levando uma peça teatral a comunidades carentes de arte.

Com Fala, Zé! José de Abreu reinicia uma de suas atividades favoritas: levar teatro Brasil a fora, fazendo palestras para jovens universitários e secundaristas, work-shops com grupos amadores, assim como foi feito nos anos 70 com A Salamanca do Jarau, montagem que em 1975/76/77, visitou cerca de 100 municípios gaúchos, A Comédia dos Amantes montagem que em 94/95 visitou 200 cidades por 6 estados do Brasil. Tendo sempre como elemento principal o projeto de vida do ator José de Abreu, levar seu trabalho a qualquer lugar do Brasil. Como dizia Fernando Brant :”Todo artista tem de ir aonde o povo está”.

 

 
 

 

 

inferior